Cristãos enfrentam acusações no Irã

06/09/2021

06:05:32 AM

informativo

Cristãos enfrentam acusações no Irã O código penal do país foi alterado e eles não podem mais se reunir pessoalmente e nem on-line Três cristãos são os primeiros a enfrentar acusações sob o novo código penal do Irã. Amin Khaki, Milad Goodarzi e Alireza Nourmohammadi, que vivem em Fardis, perto da capital Teerã, foram acusados no início deste mês de “se envolver em propaganda que educa de forma desviante contra a religião do islã” por causa de atividades cristãs. Eles tiveram que pagar fiança de cerca de 12 mil dólares e foram orientados a se apresentar semanalmente à polícia. A acusação é baseada no artigo 500 do código penal alterado, que foi assinado pelo presidente do Irã em fevereiro. As mudanças foram contestadas por grupos de direitos, que haviam alertado que o código alterador poderia ser usado para colocar minorias não reconhecidas, como os cristãos, sob mais pressão. Tanto o artigo 500 como o 499 já são usados regularmente na acusação e condenação de cristãos. Não é a primeira vez que Khaki, Goodarzi e Nourmohammadi estão no radar dos serviços de segurança do Irã. Em 2019, eles foram condenados à prisão por “propaganda contra o Estado”. As novas acusações seguem uma série de ataques em casas e outras nove famílias cristãs em Fardis. Enquanto ninguém foi preso, pertences pessoais, incluindo literatura cristã, foram confiscados. Em janeiro e fevereiro deste ano, a polícia convocou um membro de cada família para interrogatório e lhes disse para assinar um documento prometendo não se encontrarem, socialmente ou para atividades religiosas, pessoalmente ou on-line. Quando os cristãos se recusaram, foram ameaçados com longas sentenças de prisão e aconselhados a deixar o país. A pressão também é aplicada de outras formas, incluindo ameaças de restrições ao emprego.  “Os cristãos iranianos são rotineiramente solicitados durante os interrogatórios a assinar compromissos de não se reunir em igrejas domésticas, mas esse foi o primeiro exemplo conhecido de funcionários da inteligência exigindo que eles assinem um compromisso de não ter mais compromissos sociais juntos, incluindo on-line”, relatou o portal Article18. Ajude cristãos a crescer na fé Muitos cristãos lidam com traumas causados pelo período em que ficaram presos. Ao assinar a Revista Portas Abertas você pode fazer parte do que Deus está fazendo na igreja global e ser um com a parte do corpo que enfrenta perseguição por amor a ele. Com a campanha do mês, você leva apoio aos cristãos eritreus para que sobrevivam e cresçam na fé.   Fonte: Portas Abertas

Compartilhe